A própria escuridão é luz em si mesma | Kabbalah Centre Portugal

A própria escuridão é luz em si mesma

O Rav Menachem Mendel de Vitebsk fala acerca do início da porção Miketz, que ocorre durante Chanukah. Quando falamos sobre a verdadeira certeza, falamos de quando batemos no fundo mas ainda assim somos capazes de despertar a certeza de que, não só a Luz do Criador nos vai assistir e tirar-nos da situação em que estamos, mas também, mais importante, que a Luz do Criador está, na verdade, presente na escuridão que estamos a viver.


Há dois tipos de certeza. Um tipo é quando dizemos: "Estou numa situação terrível, agora estou na escuridão mas tenho a certeza de que a Luz do Criador me vai ajudar a sair." E a outra, mais importante e de um nível mais profundo, é quando dizemos: "A Luz do Criador está presente nisto, que é exatamente o que o Criador preparou para mim. Portanto, neste momento, esta é a situação perfeita para mim e a Luz do Criador vai transformá-la para mim."

 

Chanukah, que acontece durante a porção Miketz, representa a Or HaGanuz, a Luz Oculta. A Luz de Chanukah é do tipo de se ser capaz de a ver não só quando chega a ajuda, mas também de se ver a Luz na escuridão. Então, por que razão se chama Luz Oculta? Porque é a Luz que é vivida no momento da ocultação, o que significa que quando a pessoa está a passar pelo momento de escuridão, ela é capaz de ter a consciência que: "Esta é a Luz do Criador na sua totalidade." Sabemos, no entanto, o quanto é difícil fazê-lo; é difícil estar num lugar de escuridão e dizer: "Tenho a certeza de que a Luz do Criador me vai tirar disto e vai transformar esta situação."

 

O segredo de Or HaGanuz, a Luz Oculta, é uma pessoa chegar ao ponto em que, até na maior escuridão, ela diz: "Isto é a Luz do Criador, e isto será transformado pela Luz do Criador. Neste momento, esta experiência é a situação perfeita, neste momento, esta experiência é a Luz do Criador." Porquê? Porque sabemos que não há negatividade na Luz do Criador.


Portanto, em Chanukah queremos pedir para atingirmos a certeza e estarmos conectados com Or HaGanuz, a Luz Oculta. Estar conectado com a Luz Oculta significa estar numa situação que é vivida como escuridão completa, e ter a força e a certeza de dizer: "Isto é Luz." É o lugar onde em vez de se dizer: "Tenho a certeza de que a Luz do Criador me vai tirar disto", dizemos: "Isto é Luz, isto é Or HaGanuz." E ainda que a nossa mente nos diga que não há nada de bom ali e que é apenas escuridão, percebemos que há uma razão para estarmos ali. Portanto, a consciência tem de ser a de que estamos a experenciar isto como escuridão, porque não temos a conexão com o que é designado como Chochmah, a sabedoria da Luz do Criador.


Rav Brandwein tells us that oil represents Chochmah, and this is why we light the Chanukiah with oil. Lack of certainty comes from the fact that we do not have the wisdom of the Creator. If we had the wisdom of the Creator, we would see that what might otherwise be experienced as complete darkness without any positive purpose is actually complete Light. Chanukah is about having the ability, even within the darkness, to say, "This is Light,” and even within the darkness to be able to connect somehow. Even though our mind is telling us there is nothing positive there, we are still awakening the certainty that it is coming from the Creator, that it is the Concealed Light, and we, therefore, have certainty that it is the Light of the Creator.

 

Rav Brandwein diz-nos que o azeite representa Chochmah, por isso acendemos a Chanukiah com azeite. A falta de certeza vem do facto de não termos a sabedoria do Criador. Se a tivéssemos, veríamos que aquilo que de outra forma poderia ser vivido como escuridão total, sem qualquer propósito positivo é, na verdade, Luz total. Chanukah é sobre ter a capacidade, mesmo na escuridão, de dizer: "Isto é Luz" e, mesmo na escuridão, ser capaz de fazer a conexão, de qualquer forma. Mesmo que a nossa mente nos diga que não há ali nada de positivo, estamos, ainda assim, a acordar a certeza de que está a vir do Criador, que é a Luz Oculta. Por consequência, temos a certeza de que é a Luz do Criador.

 

Ao termos a força da consciência, mesmo que na maior escuridão, sabermos  que ela é Luz  e que  a escuridão é bondade total, estamos a pegar no lugar baixo da escuridão, que se chama Malchut, e a elevá-la para o mundo de Chochmah, o mundo da sabedoria, porque dizemos: "Posso não ter a consciência do motivo pelo qual isto não é entendido como escuridão, mas sei que no reino de Chochmah, na sabedoria da Luz do Criador, isto é apenas Luz." E através da força dessa consciência dizemos: "Esta escuridão não é escuridão e sei com total certeza que isto é Luz; como tal, elevo-a ao reino de Chochmah." Isto é Chanukah, e é por isso que Chanukah vem no final do mês, o qual representa o tempo de maior escuridão. É-nos dado o presente de Chanukah, a capacidade de elevar a escuridão para a Luz, de elevarmos Malchut para Chochmah.

 

Até certo ponto todos nós sabemos isto, mas não temos a força. Talvez, antes de acontecer, tenhamos a força de dizer "sei que é isto que devo fazer", mas quando estamos na escuridão e nesse nível  baixo, nessa altura não temos a força, e por isso temos Chochmah. E o que queremos pedir em Chochmah é que o Criador nos dê força não para termos a certeza de ir da escuridão para a Luz, mas para, na escuridão,  termos a força de saber que ela é absolutamente Luz.


De novo, o segredo de Or HaGanuz não é que a escuridão vai ser Luz; mas sim que a própria escuridão é grande Luz. Quando formos capazes de saber isto, seremos capazes de a transformar. Quando estamos numa situação de escuridão e a mente nos diz: " Não há nada de bom aqui. Não há uma razão positiva possível para isto estar a acontecer", e, no entanto, dizemos: "Não, sei que isto é da Luz do Criador. Sei, sem qualquer dúvida, que isto está preenchido com Luz", então elevamos Malchut a Chochmah, elevamos a escuridão para um estado de Luz. Nessa altura já não é Luz Oculta; torna-se Luz Revelada.


Não temos a força, por nós mesmos, de fazer esse trabalho e por isso temos Chanukah, que é o que queremos pedir em Chanukah. A Luz do Chanukah é Or HaGanuz, a Luz Oculta. Quando estamos numa situação e a mente nos diz: "Isto é só escuridão, isto não tem um propósito positivo", é a capacidade de saber que, na verdade, está apenas a vir da Luz do Criador e é, portanto, Luz Total. Para termos a capacidade de o fazer, precisamos da assistência do milagre de Chanukah. É o que nós pedimos quando nos sentamos junto das Luzes durante Chanukah; pedimos à Luz do Criador: "Dá-me força nos momentos de escuridão completa para ser capaz de acordar a certeza de que isto é só Luz." Porque então sabemos o que acontece. Se formos capazes de o fazer, então elevamos Malchut a Chochmah; é isso a Luz de Chanukah. Por isso, usamos azeite, porque o azeite representa Chochmah, e depois a coisa toda transforma-se de Luz Oculta para Luz Revelada.

 

Quando na porção de Miketz se diz que Joseph veio para controlar o Egito e o mundo todo, significa que veio para controlar as forças da negatividade. Porquê? Porque quando estava na prisão, ele tinha a força, mesmo no local mais escuro, de saber com certeza que "isto é completamente a Luz, e o Criador assistir-me-á e eu sairei desta prisão." Por consequência, tornou-se o governante de todas as forças da negatividade. Claro que nós não estamos no nível de Joseph, por isso temos Chanukah. E em Chanukah podemos pedir ao Criador que nos dê a força da consciência, de nos momentos de escuridão que não fazem sentido sabermos que esses momentos vêm diretamente da Luz do Criador e que, portanto, teremos a capacidade de saber que eles são completamente Luz; e através disso sermos capazes de transformar qualquer coisa.

 

Este é o processo por que Joseph passou; quando chegou ao estado em que compreendeu que a  situação em que estava era Luz Total, ele foi capaz de a transformar. E através da porção de Miketz, e em Chanukah, nós também podemos pedir ao Criador para nesses momentos sem lógica nos dar força e, nesses momentos de escuridão completa, sermos capazes de a ver como Luz total.