Onde estamos é onde precisamos de estar | Kabbalah Centre Portugal

Onde estamos é onde precisamos de estar

O Midrash diz-nos que quando José foi inicialmente enviado para o Egito, citou um verso dos Salmos em que o Rei David nos diz que tudo o que acontece no mundo é preparado pelo Criador; é muito pouco aquilo que realmente uma pessoa influencia.

 

Portanto, o Criador sabia que, para a perfeição não só da Humanidade mas também de Jacob e dos seus filhos, eles tinham de ir para o Egito e viver lá durante 210 anos. E por isso o Criador moldou todas as histórias que ouvimos sobre Jacob, José e seus irmãos. O amor de Jacob por José não veio de Jacob, veio do Criador, incutido em Jacob. Nem sequer foi uma escolha sua... o Criador enviou-o para ele. E o mesmo aconteceu com os irmãos. O seu ódio por José não era deles, mas foi-lhes  enviado também pelo Criador.


No entanto, lemos no Zohar, e a partir de Ari, que a culpa foi de Jacob e dos irmãos. Então por que razão o Midrash nos diz algo diferente: que tudo o que aconteceu ia acontecer? José ia ser vendido no Egito e Jacob ia acabar por estar no Egito, fosse como fosse. Quando finalmente José se revela aos seus irmãos, eles têm medo e dizem: "Tudo isto é culpa nossa. Nós enviamos-te para lá e nós odiávamos-te." Ao que José responde: "Não! Estão enganados. Nada disto é culpa vossa. Estou aqui porque o Criador precisou de mim aqui, no nível físico, para trazer alimento ao mundo, para que o mundo não passe fome em tempos de fome." Se José não tivesse lá estado sozinho todos aqueles anos, a fazer o trabalho espiritual, o mundo teria sido aniquilado pela fome e Jacob, os seus filhos e todos os Israelitas vindouros não poderiam ter feito o trabalho espiritual.


Ainda assim isto é muito confuso. De quem é a culpa? É de Jacob? É dos irmãos? É de José? Não. De facto, o Midrash diz-nos que a culpa é do Criador! Jacob queria realmente amar José mais do que os outros irmãos? Não. O Criador forçou-o a amá-lo mais. Os irmãos queriam odiar José assim tanto? Não. O Criador fê-los odiá-lo para que esta história se pudesse revelar, porque todos eles precisavam de estar no Egito.


São quase dois entendimentos opostos do que acontece. Bom, como é que lhe podemos dar sentido ? Tudo se resume a uma espantosa compreensão: onde temos de estar, nós temos de estar. José precisou de estar no Egito. Jacob e os irmãos tinham de ir para o Egito e ficar lá durante 210 anos. De quem é a culpa? Quem foi o responsável? Não foi Jacob nem os irmãos. Foi a Luz. O Criador precisou que isto acontecesse.


E isto é verdade para todos nós. Quando dizemos: "Cometi um erro estúpido, por isso estou nesta enrascada", de facto precisamos de separar estas duas afirmações. Podemos ter cometido, ou não, um erro. Mas o problema em que estamos, estamos porque precisamos de lá estar. Há cem caminhos diferentes que poderíamos ter tomado para acabar ali, mas tínhamos de acabar ali. Poderia ter sido através do que chamamos de erros ou poderia ter sido de outras formas. Mas onde estamos é onde é preciso estarmos, para a nossa alma, para a nossa correção e para o que é preciso fazermos neste mundo.


Não significa que não cometamos erros. Jacob cometeu um erro? Provavelmente. Mas essa é a causa ou a razão pela qual José foi vendido? Não. Foi porque José precisava de ser vendido e precisava de estar no Egito.Os seus irmãos cometeram um erro? Provavelmente. Mas eles são a razão de José estar no Egito? Não. José precisava de estar lá. A esposa de Potiphar cometeu um erro ao acusar José de violação? Sim. Mas ela foi a causa de José acabar por ir parar à cadeia? Não, porque José precisava de estar na cadeia. Os erros que cometemos precisam de ser separados de onde nos encontramos, porque onde nós estamos é onde é preciso estarmos.


É preciso termos em mente que, sim, quando cometemos um erro precisamos de aprender com ele, e poderemos ter de nos purificar desse erro, mas não podemos pensar que onde nos encontramos se deve ao nosso erro. Onde estamos é onde a Luz do Criador diz que precisamos de estar, por razões que frequentemente não sabemos. Temos de estar ali e quaisquer que sejam os erros que cometemos ou quaisquer que sejam as coisas que as pessoas nos fazem, não influenciam onde estamos. A única influência é como é que lá chegamos.

 

Diz no Zohar que era suposto Jacob vir para o Egito como prisioneiro. Era suposto estar algemado e que todos os irmãos fossem trazidos como prisioneiros. Esta é um dos modos como Jacob podia ter ido parar ao Egito. Mas porque Jacob se tinha purificado e era uma alma elevada, ele não mudou o local onde ia estar e acabou por ir parar ao Egito na mesma. Mas não algemado e sim como convidado do Faraó. Havia cem possibilidades diferentes de formas de Jacob ter sido levado ao Egito, mas como ele precisava de estar no Egito, ele acabou no Egito.


Quando pudermos entender isto, muda muita da raiva e do ressentimento que sentimos para connosco e para com os outros. Quando compreendermos realmente isto, podemos começar a lembrar-nos de separar os erros que cometemos ou as coisas negativas que as pessoas nos fizeram... do sítio onde acabamos por estar, porque onde acabamos por estar é onde o Criador e a nossa alma precisam que estejamos. Poderíamos ter lá chegado de cem formas diferentes, mas nenhuma delas , de facto, influencia onde estamos porque onde estamos é onde a Luz do Criador e a nossa alma precisam que estejamos.


Viver com este entendimento pode mudar as nossas vidas. Quantas vezes dizemos: "Oh, cometi um erro tão terrível, por isso é que estou nesta enrascada"? Mas se entendermos isto, sabemos que sim, apesar de muito provavelmente ter sido um erro, essa não é a razão porque estamos nessa enrascada. Estamos nessa enrascada porque a nossa alma precisou de lá estar. Jacob precisou de estar no Egito. José precisou de ser vendido e de estar preso. José precisou de ser o segundo a comandar, e Jacob e os irmãos  precisavam de vir para o Egito. Todos estes fatores são inalteráveis porque era o que eles precisavam para as suas almas. Como foram lá parar, se Jacob, José ou mil pessoas diferentes cometeram um erro, é apenas um caminho que foi preparado, porque poderia ter acontecido de cem maneiras diferentes.

 

Esta compreensão permite-nos separar todo o ressentimento e a raiva que temos por aqueles que acreditamos terem-nos colocado lá. Temos de nos lembrar, tal como nos diz o Rei David, que é quase um truque. Havia cem maneiras diferentes de chegarmos ao mesmo lugar, mas tínhamos de acabar ali.

 

Portanto, José diz aos seus irmãos para não se castigarem porque a realidade é que ele os ama e que, provavelmente, eles têm de se corrigir, pois é por isso que eles sentem aquele ódio. Mas José diz-lhes para nem por um momento pensarem que ele está no Egito por culpa deles. "Estou no Egito" diz-lhes José "porque o Criador precisou de mim no Egito. Porque eu precisava de salvar o mundo da fome e  precisava de fazer o trabalho espiritual, para que Jacob e vós, meus irmãos, possais fazer o vosso trabalho nos próximos 210 anos. Não estou aqui por vossa causa. Estou aqui por causa do Criador."

 

Esta lição é para cada um de nós. Seja qual for a situação em que nos encontramos, ela não é culpa de ninguém. Pode ter havido erros cometidos no caminho que nos levou ali, mas onde acabamos é onde o Criador precisa de nós. E se formos capazes de o fazer, são removidos muitos  ressentimentos e raiva que sentimos para com os outros e para nós mesmos.

 

No Shabbat Vayigash, José diz aos irmãos: "Não pensem que estou aqui por vossa causa, estou aqui por causa do Criador. Mil pessoas diferentes fizeram-me coisas que não deviam ter feito no meu trajeto até aqui mas, de qualquer forma, eu ia chegar aqui. Nem as coisas que eu ou vós fizemos teriam mudado onde acabei por chegar; só teriam mudado o como eu cá cheguei." E, claro, todos nós queremos que o percurso seja agradável, não um difícil. Mas onde quer que estejamos, não podemos culpar nem a nós nem aos outros; só podemos dizer: "Este é o local onde o Criador precisa que eu esteja."


Com esta compreensão, é removida muita da raiva que sentimos pelos outros e por nós mesmos. Joseph diz aos seus irmãos para não cometerem o erro que todos cometem: pensar que quer os erros dos outros quer os nossos nos colocaram na situação. O Criador precisou de nós ali. As nossas almas precisavam de estar ali, por isso estamos ali. Onde acabamos por estar é onde o Criador precisa que estejamos. É um ensinamento e um entendimento que, se o praticarmos, pode absoluta e completamente mudar as nossas vidas.