Coração Valente | Kabbalah Centre Portugal

Coração Valente

A maior liberdade que existe é ter um coração aberto. O nosso coração, tal como uma ave engaiolada, anseia por ser libertada para abraçar o seu potencial de amar sem limites. No entanto, para muitos de nós, o coração permanece fechado e engaiolado. Mantemos o peito fechado até, criando bloqueios físicos e espirituais. Mas os corações anseiam por amar e ser livres. O primeiro livro da Torah diz-nos “Deus criou o homem à Sua própria imagem”. A humanidade é como gotas de um grande oceano, na verdade somos o oceano ele mesmo. Fomos criados para emular o Criador e amar em conformidade. Não é bom amar? Não é a maior alegria estar apaixonado? Amar é tudo o que importa e, no entanto, tantos de nós se encontram de coração fechado, hesitantes em se libertar e amedrontados em dar.


Esta semana, o universo oferece-nos a mais profunda dádiva do ano. É-nos oferecida a chave para a gaiola dos nossos corações. É nos dada a oportunidade de libertar o nosso amor e elevar os nossos corações. É-nos dada a coragem de cumprir o nosso potencial divino e caminhar na senda do Criador. Amar o outro como nos amaríamos é a nossa maior aspiração e o nosso feito mais profundo. Esta semana, recebemos um coração destemido.

 

A nossa porção esta semana é a primeira porção do terceiro livro da Torah. Chama-se Vayikra.
Na última porção, o Tabernáculo tinha sido finalmente erguido e a presença do Criador preenchia-o. Os israelitas tinham agora uma conexão como o Criador como nunca antes na história da humanidade. O Tabernáculo fora desenhado para funcionar como um recetáculo para o Criador, para guardar as Tábuas e para purificar as gentes através dos sacrifícios.
O sacrifício é o meio pelo qual somos capazes de emendar as coisas e corrigir os nossos erros.  Quando nos esforçamos e dedicamos tempo para pedir desculpas a alguém, seja através de palavras ou por meios físicos, isto é um sacrifício. Vayikra estabelece as diferentes metodologias para o sacrifício e os poderes de purificação que eles oferecem.
O interessante é que a palavra sacrifício, que em hebraico é korban, numa tradução bem profunda significa “chegar mais perto”. Quando nos purificamos ou removemos a nossa negatividade, somos capazes de chegar mais perto do Criador. Este é o segredo desta semana, e da vida. O Criador não toma para si e é apenas uma energia de bondade amorosa e de partilha. De cada vez que fazemos a escolha no sentido de dar e partilhar, estamos a mover-nos para mais perto do Criador. Vayikra cura-nos do desejo de querer para apenas nós mesmos que é o que nos impede de agir de modo bondoso e amoroso. Quebra as nossas correntes e abre-nos à liberdade de ser capaz de amar.


Em conjunção com o poder de Vayikra, temos a leitura especial sobre a batalha contra Amalek. Esta leitura especial vai ser feita juntamente com Vayikra este sábado, naquilo que é chamado o Shabbat Zachor, o Shabbat da Recordação. A leitura sobre Amalek é a nossa segunda dádiva no sentido da liberdade. Nesta leitura, o Criador diz-nos para nunca esquecermos o exército de Amalek e a batalha que travou com os Israelitas.

 

A Torah é um código divino. As histórias que lemos são apenas conchas externas que abrigam uma tremenda energia espiritual, desenhada para benefício e socorro da humanidade. Amalek tem o mesmo valor numérico da palavra dúvida. E é através desta leitura que nos é conferido o inestimável dom de remover todas as formas de dúvida, medos, preocupações e incertezas. Que presente nos dá o Criador esta semana! É-nos dada a remoção da nossa consciência negativa através de Vayikra e, adicionalmente, a remoção dos nossos medos através do Shabbat Zachor.
Os cadeados dos nossos corações são quebrados esta semana e somos, por fim, capazes de saborear a liberdade de um coração aberto e amoroso.

 

A semana que vem inclui também o aniversário da morte do nosso professor e líder, Moisés. Ele está mais vivo do que nunca esta semana, guiando-nos rumo ao caminho do amor, ao caminho da Luz, tal como fez com os israelitas há milhares de anos. E será uma coincidência que a energia de Moisés se manifeste durante esta semana em particular? Não, de todo! Moisés escolheu esta semana para revelar a sua energia para nos apoiar naquilo que é a nossa maior transformação e maturidade do ano inteiro. A purificação de Vayikra e a remoção das dúvidas no Shabbat Zachor preparam-nos para recebermos a mais alta elevação do ano, a festividade de Purim. Purim que ocorre na próxima semana, e é considerado o mais elevado dia do ano, trazendo á nossas vidas a mais elevada Luz do Criador. A Luz de Purim remove todas as ilusões e sobe capazes de ver a interconexão de toda a humanidade, a existência de todos os que amamos e o maravilhoso amor que o Criador tem por nós. Purim remove os bloqueios que nos impedem de ver a Verdadeira realidade. A realidade em que somos todos um e em que o amor que damos é na verdade o amor que damos a nós mesmos.

 

Vayikra, Shabbat Zachor, e o nosso mestre Moisés, vêm em nosso auxílio para nos guiar rumo á nossa liberdade. É-nos dado um inigualável apoio para libertarmos os nossos corações e para sermos destemidos em amor. As correntes são removidas, os medos esvanecem-se e somos, enfim, valentes! Somos soltos para poder alcançar o nosso mais alto potencial de nos tornarmos como o Criador, seres de puro amor e partilha. É deste modo que criamos o Céu na terra para nós e para o mundo inteiro. Diz-se que quando o mundo completar a sua missão espiritual, todos os dias serão como Purim. Não haverá Torah nem outros dias santos. Apenas, o amor, a interligação e a alegria que é Purim.

 

Esta semana, nas suas meditações, visualize uma das bestas sagradas – o leão. Feche os olhos e visualize o leão plantado, orgulhoso e forte no grande deserto. O seu belo fácies, quase humano, a sua juba ondulando ao vento. O leão não em medo, não heista, não tem dúvidas. Tem medo do amor? Tem medo de dar? É tempo de seguir neste mundo com a coragem de um leão. Ajudando aqueles que precisam. Consertando os corações partidos, enchendo as mãos que estão vazias. O Criador está connosco hoje e estará amanhã. Não teremos medo. Os tempos em que o medo nos travava acabaram. Uma nova era chegou e nela cumprimos a nossa missão na terra e seguimos na peugada do Criador. A pegada do amor e da dignidade humana para todos. Somos destemidos no nosso amor. Somos destemidos no nosso doar. Foi-nos dada o coração valente que o Criador sempre nos destinou. Não existe maior liberdade do que a liberdade do amor e a alegria que daqui advém.